Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

DEI GOSTOSO PRO RAPAZ

Depois de ler tantas estárias aqui, criei coragem e resolvi contar o que aconteceu em abril de 2012 quando estive numa cidade do interior a trabalho.rnAntes de iniciar deixe me apresentar. Sou um cara de 52 anos, casado, tenho filhos e minhas experiências homossexuais anteriores não passaram de brincadeiras de troca-troca na infância.rnPois então vamos ao ocorrido.rnMais um dia de trabalho tinha terminado, fui para o hotel onde estava hospedado para tomar um relaxante e demorado banho. Vesti uma bermuda e uma camiseta, pois fazia um tremendo calor e resolvi dar uma volta para relaxar.rnQuando eu passava em frente a uma lanchonete achei que deveria tomar uma cerveja pra me refrescar. Enquanto eu saboreava a gelada percebi um jovem me olhando com certa insistência, fazendo-me sentir um pouco desconfiado. Desencanei, pedi mais outra cerveja e ao terminar levantei pra seguir pro hotel. A distância era de uns quatro quarteirões e de repente sinto uma pessoa se aproximar. Levei um susto e quando me virei pra ver de quem se tratava, lá estava o jovem que estava me encarando na lanchonete. Pensei que se tratava de assalto. Imediatamente perguntei o ele queria e ele me pediu se poderia descer a rua comigo. Achei um bocado estranho, mas acabei aceitando a companhia. Fomos conversando e aos poucos eu comecei a reparar melhor nele. Era mais ou menos da minha altura, bonito de rosto, cabelos castanhos claros e olhos verdes. O conjunto era bastante agradável.rnNo momento em que passávamos por uma praça, ele me convidou pra sentar um pouco pra conversar um pouco mais. Como não fosse muito tarde, aceitei o convite. Ocupamos um banco e sá então percebemos que ainda nem sequer havíamos nos apresentado. Ele me contou que se chamava Felipe e a conversa continuou. Aos poucos fui ficando incomodado, pois, por ele estar usando uma calça jeans bastante apertada, eu podia perceber o volume de seu pinto duro e comecei a desconfiar quais eram as intenções dele naquele papo todo. Decidi esclarecer minhas dúvidas e perguntei a ele sobre uma possível namorada e ele me respondeu que fazia algum tempo que não namorava e estava se acabando na mão mesmo, mas precisava urgente fazer sexo de verdade. E dizendo isso apertou o pinto por sobre a calça. Inevitavelmente meus olhos fitaram o volume e como ele percebeu sem qualquer rodeio me perguntou se eu não gostaria de pegar no seu pau. Fiquei aturdido por um instante, recobrei a consciência e respondi que fazia muito tempo que eu não pegava no pinto de outro cara. Ele muito sacana me disse que então aquela era uma boa oportunidade de matar a saudade. rnEu tinha que admitir que o carinha era atrevido mesmo.rnHesitei um pouco, mas por fim acabei apalpando a rola que estava extremamente duro naquelas alturas. Fiquei acariciando aquele cacete por cima da calça enquanto minha cabeça girava e voltava há anos atrás me fazendo relembrar as brincadeiras da infância. Senti um calor percorrer meu corpo. Quanto mais eu apalpava seu pinto mais o rapaz se deliciava. Como eu estava sentindo tesão com aquela situação, pois meu caralho parecia que ia arrebentar a bermuda, resolvi investir pesado e devagar abri o zíper da calça pra liberar o ferro quente. Um pinto de uns 19 cm saltou fora apontando pra cima, com uma cabeça rosada brilhante e bonita. Era de grossura mediana. Ensaiei uma punheta lenta com um medo terrível de que aparecesse alguém e nos visse naquela situação. Afinal estávamos numa praça pública. Devo confessar que eu estava gostando daquilo e não queria mais parar e, portanto, perguntei se ele não conhecia um lugar mais discreto onde a gente poderia ficar a vontade sem medo de sermos flagrados. Ele me falou de um local práximo à linha do trem. Eu disse que por mim estava bem e seguimos rumo ao nosso destino.rnEra um local escondido e me senti seguro, tanto que abracei o cara e lasquei um beijo de língua que foi correspondido, enquanto suas mãos apertavam as polpas da minha bunda e me faziam sentir mais tesão ainda. Eu já não pensava em mais nada, ajoelhei no chão, desabotoei a calça, fiz descer até seus joelhos e comecei a lamber a cabeça do cacete, até abocanhar finalmente e chupar deliciosamente seu pinto. Ele gemia de prazer e segurava minha cabeça ensaiando movimentos de vai-e-vem como que querendo foder minha boca. Chupei até que ele pediu que eu virasse meu cu, pois queria me enrabar. Desci minha bermuda até o tornozelo, apoiei as mãos nos joelhos e senti o momento que seu cacete forçava entrada no meu cuzinho. Ele tentava, mas não lograva entrar. Cuspiu na mão e passou pelo pinto e eu fiz o mesmo lambuzando bem o meu buraquinho que piscava de desejo de ser invadido. Dessa vez me segurou firme pela cintura e foi empurrando fazendo penetrar a cabeça numa estocada e depois o restante em outra estocada. Seu saco bateu contra o meu e tive certeza que ele estava todo dentro de mim. Senti um pouco de desconforto e dor, mas nada falei. Apenas gemi, o que deve ter aumentado seu tesão. Começou a se movimentar entrando e saindo e lentamente comecei a sentir aquela sensação de prazer ao ter a prástata massageada. Seu pinto pulsava dentro de mim e eu não queria que aquilo acabasse, pois ser enrabado por ele estava me fazendo sentir uma maravilhosa felicidade. Ele acelerava, depois parava um instante, depois tirava tudo e atolava de novo. Que delícia de moleque! Metia num cuzinho como se já fosse experiente e estava me dando um enorme prazer.rnJá tinha passado uma meia hora que estava me fodendo quando me puxou contra si com força, espetou-me muito fundo e gozou. O mais estranho é que sem nem tocar meu práprio pinto, talvez por ter sentido sua porra quente jorrando no meu reto, eu também gozei e gozei como havia muito não acontecia. Por um ou dois minutos ele ainda permaneceu penetrado e foi amolecendo.rnEu o abracei e beijei agradecendo pela maravilhosa enrabada. Estava feliz como uma criança.rnEle me perguntou se eu gostaria de ir com ele pra sua casa, pois assim poderíamos repetir a dose várias vezes. Fiquei apreensivo e achei melhor não, por causa de seus pais, mas ele garantiu que não haveria problema, pois a casa era grande e ficaríamos num cômodo externo e seus pais já estavam acostumados a que ele dormisse lá. Confirmando que não haveria mesmo problema, aceitei e seguimos pra lá.rnDurante o caminho ele me disse que tinha muito tempo não metia e que eu tinha sido maravilhoso em deixar ele se aliviar.rnFicamos a noite toda acordados. Chupei muito seu pinto e ele me enrabou deliciosamente. Saí de lá antes de amanhecer pra não dar confusão e fui trabalhar morrendo de sono, com o rabo ardendo de tanto levar rola, mas completamente realizado.rnNás mantemos contato por e-mail e no chat, mas infelizmente está um pouco difícil que eu viaje pra lá tão cedo o que é uma pena, pois certamente repetiríamos tudo.rnAgora que experimentei de novo uma pica no cu, quero fazer de novo. Se você gosta de caras mais maduros é discreto e adoro enrabar, entre em contato. Sou da região do ABC paulista. Meu e-mail é [email protected]

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


comi a adilhada novinha loira olho azul contopintudos site de relacionamentocontos eroticos meu cunhado estourou meu cabacinhoadvogada conto etoticosentando no colo da irma sem cueca-contosDei minha buceta para meu genro na presença de minha filha contos femininojoana meu sogro comeu cucontos eroticos formatura da secretariacontos eroticos menino inocente é enganadoamigo de infancia negro e roludo dominou a minha esposa novinha e a mim...virei chifrudo e viado contossentada nua no colo no conto eroticopirulito do titio contos inocenteconto erotico traindo contra a vontade do maridãoContos eroticos podolatria no hospitalconto comi minha sobrinha na pescariaconto erotico de despedida de solteiro com orgiapai com meleque desde pequenos contos eróticos proibidos gayscontos safadezas com a tia casada inrrustidaRelato de zoofilia dando o cabaço pro burrocontos eroticos dei pro amigo do meu marido e ele gosou dentrogay surra chinelo putinhacontos felipe comeu minha mulhrerSou casada Minhas filhas me viram sendo fodida contoContos eroticos fudendo baixinhaconto estava de biquíni cavadinha e ecitada na praiacontos erotico d fui dormi so d calçinha com papai me ferreicontos eróticos dando pro enteadocontos da mãe a lamber a cona da filhacontos eroticos crossdresserenchi o cuzinho da travesti contosconto esposa assanhada meu pai comeuContos eróticos putaría no casamento noiva fode com todos os seus padrinhoscontos eroticos meu sobrinho pauzudocontos eróticos meu pai comeu meu amigo gay ilustradotocu de proposito pornodoudocontos eroticos enrabeio ajudante de pedreiro chupou minha rola quando eu tinha dez anosconto erótconto lesbicscontos eroticos depessoas normais reaisconto erotico confessei para o meu marido2 ome pega uma mulher afosa prafase pornonovinha p****** dando para o bodãoconyor ele domou minha bucetaconto minha sobrinhas curiosas porno nas baladas de contagem novinhascontos eróticos meu amigo me comeu no mato a forçaconto gay dopauggdei a buceta pro catador de lixoconto mulher casada rabuda dei pedreirocontos eroticos porno de pirralhas inocentescontos eróticos satisfazendo minha patroacontos eróticos estuprada pelo médico dupla penetraçãocontos eroticosminha vizinha amandacontos eroticos sadomasoquismo com putasNovinha mamando no cinema contoseroticosfui fazer uma vizita e perdi as pregas video pornocontos o cheiro da rola do papaicontos completos quentes esfregando so pra judiar pedindo mascontos minha esposa eu e mais 2 travestisbrincando com maninho acabou em sexonoite maravilhosa com a cunhada casada contoscontos bi minha tia me pegou dando pra o meu tiovelhas gordas de 90kg nuascomendo cuzinho de elanycabelos lisos ate na bunda de dar invejaconto gay paguei enfiei pregascontos de incesto minha filha sendo comidaTennis zelenograd contoconto de encesto meu pai ficou empotentecontos inserto fatos reais gayfodacommeucunhadoconto eurotico namorada chupeteiraBebendo porra do filhinho contoseroticoscontos eroticos de afeminados na escolacontos eroticos tia dando pro proprio subrinhocontos eróticos minha mãe fumou baseado e comi elafortisinhomeu namo puchou meus cabelos e deu vários beijos em mim o que significa isso?Fui enrabada bem gostoso na festaContos de transexicontos eróticos menino pequeno dando ocupadoconto-eu pequena e sapekinhaconto dominadora comi a bundinha dele novinho enfiei o dedocastigo sadomasoquismo contos seiospornô grátis boa f***.com só contos preta peituda transando com genroMeu irmão chupa minha maemeu marido foi enrabado a minha frente, contos